Programa executivo de Harvard para ampliar a cobertura dos programas destinados à primeira infância

Demonstrar que um projeto beneficia crianças pequenas é uma coisa, mas ampliar a cobertura do modelo de modo a alcançar milhões de crianças implica uma série de desafios totalmente diferentes. Juntamente com a Escola de Governo John F. Kennedy, da Universidade de Harvard (HKS), a Fundação desenvolveu um programa de educação executiva com duração de uma semana voltado a profissionais que trabalham para ampliar as iniciativas da primeira infância.

Os desafios de projetos em larga escala

O programa não é sobre a primeira infância em si, mas sobre liderança, pensamento estratégico e habilidades necessárias para expandir em larga escala iniciativas focadas na primeira infância.

Modelos de prestação de serviços a crianças e famílias que trabalham em um projeto-piloto ou em pequenas áreas geográficas não necessariamente trabalharão em escala. Os desafios incluem formar novos funcionários; adaptá-los a novos contextos e populações que podem ter necessidades ou expectativas diferentes; manter um nível consistente de qualidade; encontrar sinergias e evitar sobreposições com os serviços existentes que atuam em larga escala; e construir apoio político e demanda popular para garantir sua sustentabilidade.

Um curso de formação para profissionais

A Fundação tem apoiado a Escola de Governo John F. Kennedy (Universidade de Harvard) no desenvolvimento de um programa executivo de formação, com duração de uma semana, direcionado a equipes de altos funcionários governamentais, ONGs e líderes empresariais, pesquisadores e integrantes de fundações de todo o mundo, trabalhando para identificar e dimensionar iniciativas globais voltadas para o desenvolvimento da primeira infância. O programa foi desenvolvido pela faculdade sênior da Kennedy School e é ministrado pela faculdade de Harvard. As equipes recebem apoio para continuar colaborando nos meses e anos seguintes ao programa. O curso será oferecido por cinco anos consecutivos.

Em abril de 2018 organizamos este programa pela terceira vez, com equipes de sete países e 44 participantes, incluindo uma equipe da Jordânia, preocupada em como escalar o programa de visitas domiciliares do IRC / Sesame Workshop; outra de Bangladesh, que está trabalhando em uma estratégia para ampliar a abordagem de “1000 dias” para o desenvolvimento da primeira infância; e uma equipe do Equador, que busca aprender como integrar na política pública do país as intervenções de desenvolvimento na primeira infância (nutrição, saúde, educação dos filhos). Todas as equipes continuarão trabalhando na implementação de suas estratégias de escalabilidade no próximo ano. A Fundação permanecerá em contato próximo, com todas as equipes para captar aprendizados e fornecer mais orientação e suporte, sempre que necessário, durante o processo de escalabilidade.

Por que lançamos essa iniciativa depois dos sucessos no Brasil

O programa segue o sucesso de uma iniciativa semelhante conduzida pela Fundação Maria Cecília Souto Vidigal e pelo Centro para o Desenvolvimento da Criança da Universidade de Harvard, para o qual a Fundação Bernard van Leer forneceu fundos. Esse programa capacitou 125 líderes públicos e privados brasileiros para entender melhor a ciência do desenvolvimento na primeira infância.
Entre eles encontravam-se membros da Câmara Federal e do Senado de vários partidos políticos, que juntos redigiram uma nova lei (o Marco Legal da Primeira Infância) sobre a promoção do desenvolvimento da primeira infância. Dois graduados do curso se tornaram prefeitos, em Boa Vista e Arapiraca, e começaram a implementar políticas municipais que beneficiaram crianças pequenas. Um participante do Brasil no curso de 2017 disse:

“Além dos conhecimentos adquiridos, o curso melhorou o alinhamento conceitual e programático entre os coordenadores estaduais. O grupo está agora mais coeso e responde mais rapidamente às exigências da implementação do programa”.