Peru

Nosso envolvimento com o Peru remonta ao início dos anos 80, sendo que nos últimos tempos nossas atividades passaram a ter uma ênfase maior em ações de advocacy. Ao forjar alianças com formadores de opinião, acadêmicos, meios de comunicação, políticos, organizações internacionais e setor privado, nossos parceiros – incluindo o Grupo Impulsor, uma coalizão de advocacy de alto nível formada em 2008 – tem colaborado para aumentar o protagonismo da primeira infância na agenda nacional e a moldar as decisões políticas nacionais e regionais, como também as decisões relativas aos orçamentos públicos.

O trabalho que construímos no país com o programa Parents+ está fundamentado em décadas de financiamento de ONGs peruanas, que puderam comprovar modelos de cuidado infantil, ensino pré-escolar e parentalidade. Em especial, estamos ampliando nosso trabalho de visitas domiciliares em apoio a trabalhadores comunitários de saúde dos estados de Loreto, Ucayali, Huancavelica e Apurimac, visando com isso atender a mais de 100 000 famílias até o ano 2020 e assim inspirar programas similares em outros estados peruanos.

Também estamos trabalhando para vincular os serviços de apoio aos pais com os empregadores (incluindo o serviço policial peruano), grupos de microcrédito (em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento) e igrejas.

Parcerias

Alguns exemplos de parcerias no Peru:

O fato de a primeira infância ter aumentado seu protagonismo na agenda política no Peru nos últimos anos se deve, em grande parte, ao trabalho da Asociación Salgalu ao organizar o Steering Group, um movimento de advocacy que inclui cidadãos influentes e de alto nível.

Pesquisa realizada pelo Grupo de Análise para o Desenvolvimento (GRADE) revelou a magnitude do problema da violência contra as crianças. Agora, estão em curso melhoramentos na forma de coleta de dados para permitir um melhor controle da eficácia das intervenções.

Trabalhando com níveis mais altos de governo, a Asociación Red Innova tem demonstrado como os municípios rurais de Loreto podem oferecer serviços de visitas domiciliares com apoio financeiro e técnico. Atualmente estuda-se como ampliar a cobertura desse modelo para todo o país.

A Campanha da INFANT “Infância sem Castigo, Infância sem Violência” desempenhou um papel decisivo na recente aprovação de uma lei que proíbe os castigos físicos. Esta organização de base, dirigida por crianças e que lida diretamente com elas, continua a liderar campanhas sobre violência e condições de vida.