A Plataforma de dados permite explorar a situação da desigualdade da primeira infância em São Paulo

Publicado 21 de dezembro de 2017

Uma criança que mora no distrito de Pari, em São Paulo, tem quase 17 vezes mais chances de morrer antes de completar cinco anos de vida do que uma criança criada no distrito de Pinheiros, localizado a poucos quilômetros a oeste. Em Vila Brasilândia, região nordeste da cidade, as crianças esperam em média 41 dias por uma consulta pediátrica; poucos quilômetros ao sul, no bairro de Moema, a espera é de apenas dois dias.

Disparidades como essas foram destacadas pela mídia local em matérias de divulgação do Observatório da Primeira Infância (OPI) e do Mapa da Desigualdade da Primeira Infância, lançados pela Rede Nossa São Paulo (parceira da FBvL).

A plataforma digital do OPI apresenta dados sobre 130 indicadores relacionados à situação das crianças de até 6 anos de idade, e permite que os usuários possam fazer todo tipo de comparação entre os 96 distritos da cidade. Os dados do OPI incluem indicadores inspirados no programa Urban95 da FBvL sobre temas de segurança (p.ex. segurança viária, crianças desaparecidas, ciclovias), saúde (p.ex. crescimento atrofiado, obesidade, qualidade da água), assim como temas interessantes (p.ex. áreas verdes, locais públicos de encontro). Os usuários podem selecionar tanto os indicadores relacionados ao Urban95, quanto àqueles relacionados ao Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Leia mais informações sobre o OPI e explore os indicadores e o mapa interativo. A plataforma também está agrupando as melhores práticas relacionadas à mobilidade, espaço público, dados e suporte para pais.