Novo estudo apresenta maneiras de melhorar a mobilidade urbana na primeira infância

Publicado 8 de julho de 2021

Circular pela cidade pode ser uma oportunidade para as crianças explorarem, conhecerem e se conectarem com o seu entorno. Espaços públicos acessíveis, seguros e lúdicos colaboram para o desenvolvimento integral das crianças e o bem-estar de seus cuidadores.

Com o objetivo de compreender profundamente a relação entre a mobilidade urbana e os principais aspectos que impactam o desenvolvimento da primeira infância e a qualidade de vida dos bebês, crianças pequenas e seus cuidadores, o ITDP Brasil realizou um estudo no município de Recife entre 2019 e 2020, com o apoio da Fundação Bernard van Leer e da Secretaria de Planejamento e Gestão do Recife (SEPLAG / PCR).

Photo: Courtesy of Jacob Krupnick/Wild Combination

O nome do estudo é “Primeiros passos: mobilidade urbana na primeira infância” e o cenário de pesquisa é a cidade de Recife, no Brasil, que apresenta resultados que podem ser aplicados globalmente. O material se desdobra em dois relatórios e um sumário executivo, além de um infográfico apresentando possíveis mudanças no sistema de ônibus.

O primeiro relatório aborda a perspectiva dos cuidadores sobre os impactos diretos e indiretos da qualidade do espaço urbano na vida das crianças. O segundo relatório discute mais detalhadamente os obstáculos e pontos de atenção em relação ao sistema de ônibus como um todo, bem como as oportunidades e desafios para os atores do poder público e operadores de transporte que atuam com a pauta da mobilidade urbana e da primeira infância. O estudo mostra que para que as cidades estejam mais bem preparadas para acolher as crianças pequenas é necessário planejar, executar, monitorar e avaliar as políticas e projetos de mobilidade urbana de forma coordenada e transversal.

A maneira como as crianças deslocam-se pelas cidades tem um grande impacto em seu desenvolvimento. Nessa fase, os cuidadores desempenham um papel central em suas vidas, sendo os principais responsáveis pelas atividades cotidianas. Em Recife, a maior parte das viagens com fins de trabalho e educacionais são realizadas em transporte coletivo ou a pé (71% para trabalho e 82% para educação). Viajar com bebês e crianças pequenas exige mais tempo e planejamento, e requer o dobro de cuidado e atenção.